31 de jul de 2009

olhos para sempre


glamour de época
impregna acetato:
momento a acusar
a inutilidade
do tempo


na permanência sépia
cópia da juventude
a me perpetuar
encanto – olhos
para sempre

Um comentário:

  1. poema lindo parecido à foto
    justo inerte exposto firme
    belo jovem altaneiro marcado
    face a face com o passado

    ResponderExcluir

obrigado por suas gotas!