31 de jul de 2009

b.a. 79

.
folhas raspam calçadas. o vento penteia tudo. buenos aires caminha fria ao sol de meio-dia.

outro corpo foi achado na baía do prata. mutilado. o rosto, o sexo, o ato. não ouço ninguém berrar por isso nas amplas plazas. eu mesmo vou folheando o jornal sem escutar meu berro. não tenho por onde dar. vou amassá-lo para a próxima cesta de papel. truncado, não merece ser tido. ouvido nem lido. todos os diários conseguem dizer nada com a maior variação possível de palavras. mas sempre o mesmo nada. é o hábito que me leva todo dia a arriscar. folhear os rostos de inverno. folhear as esquinas. as calçadas.

buenos aires dos militares. do silêncio. argentina abafada. pelo amassar das botas nas folhas das calçadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado por suas gotas!